Iniquidade e Pecado

INIQUIDADE

Êxodo 20

1 Então falou Deus todas estas palavras, dizendo:

 

2 Eu sou Jeová teu Deus, que te tirei da terra do Egito, da casa de servidão.

 

3 Não terás outros deuses diante de mim.

 

4 Não farás para ti imagem de escultura, nem figura alguma do que há em cima no céu, nem em baixo na terra, nem nas águas debaixo da terra.

 

5 Não as adorarás, nem lhes darás culto, porque eu, Jeová teu Deus, sou Deus zeloso, que visito a iniqüidade dos pais nos filhos, na terceira e na quarta geração daqueles que me aborrecem,

 

6 e uso misericórdia até mil gerações daqueles que me amam e guardam os meus mandamentos.

 

7 Não tomarás o nome de Jeová teu Deus em vão, porque Jeová não terá por inocente aquele que tomar o seu nome em vão.

 

8 Lembra-te do dia de sábado, para o santificar.

 

9 Seis dias trabalharás, e farás toda a tua obra;

 

10 mas o sétimo dia é o sábado de Jeová teu Deus. Nesse dia não farás obra alguma, nem tu, nem teu filho, nem tua filha, nem teu servo, nem tua serva, nem teu animal, nem o teu estrangeiro que está das tuas portas para dentro;

 

11 porque em seis dias fez Jeová o céu e a terra, o mar e tudo o que neles há: por isso Jeová abençoou o dia sétimo, e o santificou.

 

12 Honrarás a teu pai e a tua mãe, para que se prolonguem os teus dias na terra que Jeová teu Deus te dá.

 

13 Não matarás.

 

14 Não adulterarás.

 

15 Não furtarás.

 

16 Não dirás falso testemunho contra o teu próximo.

 

17 Não cobiçarás a casa do teu próximo, não cobiçarás a mulher do teu próximo, nem o seu servo, nem a sua serva, nem o seu boi, nem o seu jumento, nem coisa alguma que lhe pertença.

 

18 Todo o povo testemunhava os trovões, e os relâmpagos, e o sonido da buzina, e o monte fumegando; o povo, ao ver isto, estremeceu e parou ao longe.

 

19 Disseram a Moisés: Fala-nos tu, e ouviremos; porém não nos fale Deus, para que não morramos.

 

20 Respondeu Moisés ao povo: Não temais; porque Deus veio para vos provar, e para que o seu temor esteja diante de vós, a fim de que não pequeis.

 

21 O povo parou ao longe, mas Moisés chegou-se às trevas espessas onde Deus estava.

 

22 Então disse Jeová a Moisés: Assim dirás aos filhos de Israel: Vós mesmos tendes visto que do céu eu vos falei.

 

23 Não fareis outros deuses ao lado de mim; deuses de prata, ou deuses de ouro, não os fareis para vós.

 

24 Um altar de terra me farás, e sobre ele sacrificarás os teus holocaustos e as tuas ofertas pacíficas, as tuas ovelhas e os teus bois. Em todo o lugar em que eu fizer recordar o meu nome, virei ter contigo e te abençoarei.

 

25 Se me edificares um altar de pedras, não o edificarás de pedras lavradas; pois, se levantares sobre ele a tua ferramenta, tê-lo-ás profanado.

 

26 Nem subirás por degraus ao meu altar, para que a tua nudez não seja ali exposta.

 

Em alguns textos, a Bíblia fala sobre pecado e em outros fala sobre iniquidade. Qual a diferença entre pecado e iniquidade na Bíblia? Elas são palavras sinônimas ou apresentam alguma diferença forte entre seus significados dentro do contexto bíblico? Muitas vezes pecado e iniquidade nos parecem ser praticamente a mesma coisa, no entanto, quando abordamos com mais profundidade o uso dessas duas palavras na Bíblia, veremos que existe, sim, uma diferença importante biblicamente falando.

1) Uma coisa pecado e iniquidade têm em comum: apontam para erros que a Bíblia define como aqueles erros contrários à vontade de Deus, que ferem aquilo que Deus determinou como sendo os melhores atos que devem ser praticados pelo ser humano. Nesse sentido, pecado e iniquidade são práticas que têm a ver com esses erros que cometemos, ferindo a vontade de Deus.

2) Mas a diferença fundamental entre pecado e iniquidade é mais facilmente vista quando analisamos as palavras nos originais e, em seguida, observamos como elas são usadas nos textos. Primeiro vamos analisar a palavra pecado: no grego é “hamartia” e significa, com relação às atitudes humana, “errar o alvo”. Então, em outras palavras, o pecado seria uma “escorregada”, um “pisar na bola” que alguém faz perante as leis de Deus, desobedecendo-as. Já a palavra iniquidade, no grego é “anomia” e significa uma “condição daquele que não cumpre a lei”. Ou seja, aquele que não cumpre a lei de Deus e peca de forma constante contra ela, entra em uma condição de vida que se chama iniquidade.

3) Observemos um uso da palavra pecado: “Respondeu Jesus: Nenhuma autoridade terias sobre mim, se de cima não te fosse dada; por isso, quem me entregou a ti maior pecado tem” (João 19:11). Observe que temos aqui o foco no erro cometido. Ou seja, no “errar o alvo”. Esse é o uso da palavra pecado. Alguém errou o alvo, desobedeceu a lei, agiu mal, teve uma atitude reprovável. Agora, vejamos um uso da palavra iniquidade: “Então, lhes direi explicitamente: nunca vos conheci. Apartai-vos de mim, os que praticais a iniquidade” (Mateus 7:23). Observe que a iniquidade é uma condição, um estado em que a pessoa se encontra, ou seja, um praticante de erros sucessivos, alguém que vive naquele caminho de erros sem arrependimento algum.

4) Então, a diferença entre pecado e iniquidade é que pecado é um erro de alvo, algo isolado que ocorre por negligência, descuido. Já a iniquidade é quando esses erros, que deveriam ser acidentes (pecado) se tornam uma constante na vida da pessoa, sem haver qualquer arrependimento e correção nos caminhos (iniquidade). O iníquo é exatamente quem se orgulha do caminho do pecado e anda nele, quem está nessa terrível condição. O pecador já é alguém que errou o alvo, mas se arrepende. Sendo assim, nós servos de Cristo somos pecadores (pois erramos o alvo de vez em quando), mas não podemos ser iníquos, ou seja, mergulhados na iniquidade, pois a prática constante de pecados é um sinal na vida de quem não serve a Deus: “Todo aquele que é nascido de Deus não vive na prática de pecado; pois o que permanece nele é a divina semente; ora, esse não pode viver pecando, porque é nascido de Deus” (1João 3:9).

Apartai-vos de mim, os que praticais a iniquidade” (Mateus 7:23). Observe que a iniquidade é uma condição, um estado em que a pessoa se encontra, ou seja, um praticante de erros sucessivos, alguém que vive naquele caminho de erros sem arrependimento algum.

Qual foi a causa da morte de Ananias e Safira?

 

O julgamento de Deus sobre o casal foi porque eles apresentaram aos apóstolos uma oferta que não era relativa ao total da venda da propriedade.

 

“E Ananias, ouvindo estas palavras, caiu e expirou. E um grande temor veio sobre todos os que isto ouviram. E, levantando-se os moços, cobriram o morto e, transportando-o para fora, o sepultaram. E, passando um espaço quase de três horas, entrou também sua mulher, não sabendo o que havia acontecido. E disse-lhe Pedro: Dize-me, vendestes por tanto aquela herdade? E ela disse: Sim, por tanto. Então Pedro lhe disse: Por que é que entre vós vos concertastes para tentar o Espírito do Senhor? Eis aí à porta os pés dos que sepultaram o teu marido, e também te levarão a ti. E logo caiu aos seus pés, e expirou. E, entrando os moços, acharam-na morta, e a sepultaram junto de seu marido” (At 5.5,10

 

 

A princípio, este efeito mortal sobre Ananias e Safira não ocorreu meramente porque tentaram enganar os líderes da Igreja primitiva. Não foi também porque ofertaram apenas parte do preço da propriedade vendida. Analisemos, antes, o motivo da venda da herdade.

Isso não foi abolido no novo testamento

 

Veja qual área está morta em sua vida e não perca a oportunidade de não morrer e possivelmente perder a salvação

ATOS 05

 

Ananias e Safira

5 Entretanto, havia um homem chamado Ananias que, junto com sua mulher Safira, vendeu uma propriedade 2 e levou somente parte do dinheiro para os apóstolos [a], guardando o restante para ele. Safira sabia disso e concordou com a atitude do marido. 3 Então Pedro lhe disse:

 

—Ananias, por que você deixou que Satanás enchesse o seu coração, para que mentisse ao Espírito Santo [b], ficando com parte do dinheiro da venda do terreno? 4 O terreno não era seu, antes de você vendê-lo? E depois que você o vendeu, não tinha a liberdade de fazer o que quisesse com o dinheiro? Por que decidiu fazer isso? Você não mentiu para os homens, mas sim para Deus!

 

5 Ao ouvir estas palavras, Ananias caiu morto, e todos os que souberam dessas coisas ficaram com muito medo. 6 Alguns jovens se levantaram, cobriram-lhe o corpo, levaram para fora e o enterraram. 7 Mais ou menos três horas mais tarde chegou Safira, ainda sem saber o que tinha acontecido a seu marido. 8 Pedro, então, lhe perguntou:

 

—Diga-me uma coisa: Foi por este preço que você e o seu marido venderam o terreno?

 

Ela respondeu:

 

—Sim, foi por essa quantia.

 

9 Então Pedro lhe disse:

 

—Por que você e seu marido concordaram em pôr à prova o Espírito [c] do Senhor? Olhe! Os jovens que acabaram de enterrar seu marido estão aí e agora eles vão levar você também.

 

10 E no mesmo instante ela caiu morta aos pés de Pedro. Ao entrarem os jovens, viram na morta e a levaram para fora e a enterraram ao lado de seu marido. 11 E um grande temor veio sobre toda a igreja e sobre todos aqueles que ficaram sabendo dessas coisas.