ARTIGOS

ROSH HODESH

CABEÇA DO MÊS

Pastor Ricardo Sorrentino
Embaixador Eclesiástico pela ONU
Presidente Regional da Associação de Pastores e Ministro do Brasil da Assembleia de Deus
Conselheiro da Convenção Judaica Messiânica

Rosh Chodesh, é, dentro do Mandamentos do primeiro dia de cada mês no Calendário hebraico, que é sinalizado pelo aparecimento da Lua Nova. Dentro dos mandamentos do Eterno Rosh Chodesh é considerada uma festividade menor

” TAMBÉM UM DIA DE ALEGRIA NO TEMPO DESIGNADOS A VOCÊS DE ROSCH HODESH , TOQUEM AS TROMBETAS SOBRE AS OFERTAS QUEIMADAS E SOBRE OS SEUS SACRIFÍCIOS DE OFERTAS DIANTE DE SEU DIA EU SOU ADONAI , O DEUS DE VOCÊS”

(NÚMEROS  10:10 )

O dia de ROSH HODESH ,que significa Cabeça do Mês , é o primeiro dia de cada mês , de cada mês , de acordo com o calendário Bíblico. ESSE TAMBÉM É CHAMADO DE LUA NOVA , POIS E A FASE DA LUA QUE SE INICIA O MÊS DO CALENDÁRIO LUNAR . ADONAI instituiu esse dia como um dia de dedicava e encontra com Ele , para que ele seja a primícia do mês.

Essa Celebração é tão importante por ser um tempo de encontro e dedicação , que a Palavra afirma que a mesmo após se fazerem novos céus e nova terra , todos continuaram se apresentando diante do senhor no Shabat e no ROSH HODESH .

(….) ” Como os novos céus e a nova terra que estou fazendo continuarão na minha presença “, diz Adonai . “Assim perdurarão seus descendentes e seu nome “. A cada mês , em ROSH HODESH , e toda semana no shabat , todos seres vivos virão adorar na minha presença” diz Adonai […..] ( ISAIAS 66. 22-23)

EZEQUIEL 46 , O Profeta relata sobre um templo visto no mundo espiritual e diz que a porta do templo seria aberta a casa shabat e ROSH HODESH e o príncipe entraria por ela para entregar ofertas de adoração ao Eterno , então todos os povos da terra se prostariam diante do Eterno nessa ocasião.

Apenas uma breve indicação

Sobre as portas menores do mundo espiritual

Como temos

Anualmente

Pessach

Matzot

Shavuot

Yom Teruah

Yom Kipur

Temos mensalmente uma porta ao semanal

E uma mensal

Semanal shabat

Mensal ROSH HODESH

A onde o Eterno vem nos receber

Não se engana

Tudo no ESPIRITUAL é regido por leis .

Leis não  escrita por homens

Apóstolos

Profetas

E sim

Determinada pelo próprio ETERNO

Como ESTATUTOS PERPÉTUOS.

Vivem uma grande mentira

A onde o mundo Cristão está doente ,cativo e sem salvação.

A verdade e única .

Sem dupla INTERPRETAÇÃO

//////////////////////////////////

Maiores informações

Calendário instuido pelo Eterno é baseado na Lua. Ela aparece no céu no início de cada mês judaico como um crescente estreito, que gradualmente se torna mais pleno a cada noite, até ficar perfeitamente cheio e redondo, no meio do mês. Então a Lua “encolhe” até desaparecer totalmente por volta do fim do mês, apenas para reaparecer no começo do novo mês. Quando a Lua surge primeiramente como um estreito crescente, é chamada de “novilúnio” (em hebraico Molad – “nascimento da Lua”). No Shabat antes da Lua nova, anunciamos e abençoamos o novo mês (exceto o mês de Tishrei, que é abençoado unicamente pelo próprio Deus).

1317

De um novilúnio ao seguinte passam-se pouco mais de vinte e nove dias e meio. Esta é a duração do mês. Mas, uma vez que não podemos ter metade do dia pertencendo a um mês e a outra metade ao seguinte, o calendário foi construído de maneira a termos, às vezes, vinte e nove dias, e outras vezes, trinta dias no mês judaico; nunca mais, nem menos.

É por isso que às vezes temos um dia de Rosh Chôdesh (início do mês) e às vezes dois. Quando temos um dia de Rosh Chôdesh, significa que o mês que se finda tem 29 dias; se temos dois dias de Rosh Chôdesh, o primeiro pertence ao mês anterior (ou seja, é o 30º dia do mês que finda), enquanto o segundo dia de Rosh Chôdesh é o primeiro dia do novo mês. Assim, quando anunciamos o novilúnio de Adar I (este ano), dizemos: “Rosh Chôdesh de Adar Rishon será no domingo e na segunda-feira; que nos venha para o bem”.

Esta proclamação informa-nos imediatamente que o mês de Shevat, que se finda, teve trinta dias, enquanto o primeiro dia de Adar I cairá na segunda-feira seguinte.

Num ano “comum” temos seis meses “cheios” (ou “completos”) de 30 dias cada, e seis meses “curtos” de 29 dias, seguindo-se um ao outro (30, 29, 30, 29, etc). Isso nos dá um total de 354 dias no ano judaico. (Em certos anos “perdemos” um dia, e em outros “ganhamos” um, fazendo com que o número total de dias num ano seja de 353, 354, ou 355, conforme o caso. Há boas razões para isso como, por exemplo, evitar que Yom Kipur caia numa sexta-feira, ou num domingo, para não se seguirem dois dias de Shabat.

Naturalmente, é importante que conheçamos o calendário Bíblico ( Lunar) , pois precisamos saber quando observar as nossas festas religiosas. Rosh Hashaná é o primeiro e segundo dia de Tishrei, Yom Kipur é o décimo, e Sucot começa no décimo quinto dia de Tishrei ; Pêssach começa no décimo quinto de Nissan, e Shavuot é no qüinquagésimo dia seguinte, (i.e., 6 e 7 de Sivan). E então, há Chanucá e Purim, e ainda os dias de jejum. O próprio Rosh Chôdesh é como se fosse um pequeno feriado, ocasião em que fazemos orações especiais.

A Torá nos fala do mês e do dia da celebração de uma festa, como também da estação do ano em que deve ser comemorada. Por exemplo, a Torá nos diz que Pêssach deve ser na primavera (considerando-se as estações do hemisfério norte) – a estação em que nossos antepassados saíram do Egito – e Sucot deve ser no outono. Portanto, não devemos ignorar o sistema solar que determina as quatro estações do ano (“Tecufot”).

O Ano Solar tem pouco menos de 365 dias e meio, enquanto o Ano Lunar tem cerca de onze dias a menos! Portanto, se ignorassemos inteiramente o Ano Solar, nossas festas não seriam na mesma época a cada ano com relação à estação do ano, e iriam atrasar onze dias. Em cerca de três anos, sairiam fora de sua respectiva estação por aproximadamente um mês; em nove anos, por cerca de três meses. Pêssach não seria mais na primavera, e sim no inverno!

Por essa razão, não devemos permitir que o Ano Lunar se distancie do Ano Solar; e sempre devemos aproximá-los. É por isso que o calendário instituído  pelo Eterno  tem um mês a mais a cada três anos, enquanto os onze dias de diferença formam cerca de um mês.

Adicionamos este mês após Shevat, empurrando Nissan para frente, para o seu lugar apropriado na primavera. Uma vez que o mês de Nissan está de volta, todas as outras festas cairão na época certa e nas estações adequadas.

O calendário instituído pelo Eterno  é de fato maravilhoso. Nossos sábios, que construíram um calendário para todos os tempos, eram realmente sábios nas ciências da Astronomia e da Matemática.