VOCÊ PODE OUVIR O SOM DE TROMBETA?

UM TOQUE DE DESPERTAR (1)

Disse Deus: “Fala aos filhos de Israel,

e dize-lhes: As solenidades de Yahweh,

que convocareis, serão santas convocações;

estas são as minhas solenidades…”

(Levítico 23:2)

As festas de Yahweh são sombras das coisas que viriam (vieram) e virão (Colossenses 2:16,17). As festas primaveris, das chuvas temporãs ou primeiras chuvas, já se cumpriram cabalmente em Jesus Cristo, em Sua primeira a vinda (Páscoa, Primícias, Pães Ázimos e Pentecoste). As festas outonais, das chuvas serôdias, celebradas neste mês (Trombetas, Expiação e Tabernáculos), aguardam seu cumprimento profético no regresso do Messias! Precisamos entender o que elas significam, para entendermos os dias e estações em que vivemos, alertas e preparados para o retorno do SENHOR JESUS, pois: é conveniente que se cumpra tudo o que sobre ELE está escrito na lei de Moisés, e nos profetas e nos Salmos” (Lucas 24. 44).

 

Os judeus chamam esta festa de Rosh HaShanah, ou “cabeça do ano.” Dá início ao seu ano civil. Trata-se de uma tradição rabínica do século II dC. Preferimos olhar para ela na perspectiva bíblica: Trombetas (Yom Teruhah em hebraico). Uma celebração ao chamado de Deus ao Seu povo, anunciando a Sua voz e a segunda vinda de Cristo.

Disse Yahweh a Moisés: “Diga também aos israelitas: No primeiro dia do sétimo mês vocês terão um dia de descanso, uma reunião sagrada, celebrada com toques de trombeta. Não realizem trabalho algum, mas apresentem a Yahweh uma oferta…” (Levitico 23:23-25)

“Yom Teruhah,” que é traduzido por “uma explosão de despertar, ou grito,” trata-se na Bíblia de um dos Festivais Sagrados de Yahweh, desde os dias de Moisés, chamado Festa das Trombetas! Yom Teruhah é o sexto festival de sete, e vem somente dez dias antes do dia mais sagrado de todos -Yom Kippur, o Dia da Expiação.

Muitos mestres da Bíblia acreditam que a História Sagrada coincide com as Festas de Yahweh, e que Trombetas será a estação quando Jesus voltará para Sua Igreja. O Senhor nunca perde uma oportunidade de ensinamento! A Bíblia está cheia de quadros belos e incrivelmente ricos e objetos de lições que Ele usa para ilustrar os Seus planos e propósitos ao Seu povo! Nós chamamo-los de tipos, ou sombras.

A declaração diz que as festas são de Yahweh! Ele as usou no Antigo Testamento para ensinar ao Seu povo e apontar em direção ao futuro para sua instrução.

Hoje nós podemos recordar esses festivais e dizer “Aleluia!” Nosso Deus reina e Jesus é o Senhor! Cada Festival prega JESUS! Paste deles foram cumpridos quando Cristo veio à terra como nosso Sumo Sacerdote e o Capitão da nossa Salvação! Os demais se cumprirão em Sua segunda vinda. Portanto, nesta estação do ano, nada melhor que celebrar a Deus pela obra da redenção em Cristo e despertar o nosso coração, preparando-nos para o Seu regresso. Os Festivais mostram-nos nossa necessidade do Grande Salvador, que veio nos buscar e salvar e voltará para consumar a obra da redenção.

O Som da Trombeta frequentemente é empregado nas Escritura como uma imagem da própria Voz de Deus.

– A voz de Deus e a voz da trombeta eram ouvidas concomitantemente no Monte Sinai (Êxodo 19:18-19). – João ouviu a voz do Senhor como a voz de uma trombeta em Apocalipse. (Apocalipse 1:10). – A trombeta apresenta o Filho do Homem vindo em grande glória para receber Seu povo e ressuscitar os mortos (Mateus 24:30-31).

Ao comemoramos Yom Teruah – a Festa das Trombetas, olhamos para a antiga celebração e entendemos a verdade permanente: Deus chama Seu povo para ouvir o toque da trombeta, e despertar para um novo nível de comunicação com Ele.

A Trombeta diz: “Prepare-se!” E é neste contexto que entramos na Festa das Trombetas. Vivemos dias em que tudo aponta para a proximidade do regresso de Cristo. Entendendo que a Festa das Trombetas é um tipo do arrebatamento da Igreja. Celebremo-la, pois, como um grande grito do povo de Deus, convocando à preparação para aquele grande Dia.

 

VOCÊ PODE OUVIR O SOM DE TROMBETA? UM TOQUE DE DESPERTAR (2)

O TOQUE DO SHOFAR É UM CHAMADO A DESPETAR!

  1. UM CHAMADO A REGOZIJAR-SE

É um santo chamado a adorar, gritar alegremente, a gloriar-se na presença de nosso Deus e Rei! O toque do shofar diz ao povo de Deus para alegrar-se e louvar o Seu Nome. É um prelúdio à adoração.

1 Crônicas 13:7-8: “Da casa de Abinadabe levaram a arca de Deus num carroção novo, conduzido por Uzá e Aiô. Davi e todos os israelitas iam dançando e cantando com todo o vigor diante de Deus, ao som de harpas, liras, tamborins, címbalos e cornetas”

Salmo 98:6: “Com cornetas e ao som da trombeta; exultem diante de YHWH, o Rei!”

Salmo 89:15: “Como é feliz o povo que aprendeu a aclamar-te, YHWH, e que anda na luz da tua presença!”

A Festa das Trombetas era um tempo de poderoso louvor e adoração. O povo de Deus gritava, levantava as mãos santas e cantava louvores. Historicamente, é acreditado que os Salmos 93-100 foram escritos como canções para a Festa das Trombetas.

Imagine comigo o que deve ter sido naquele tempo, quando o Sumo Sacerdote, filho de Arão, tocava o shofar, e as pessoas antecipavam a própria presença e voz de Deus em Seu meio e começavam a cantar e a cantar…

Salmo 95:1-2 “VINDE, cantemos a YHWH; jubilemos à rocha da nossa salvação. Apresentemo-nos ante a sua face com louvores, e celebremo-lo com salmos.”

Salmo 97:1-5 – “YHWH reina; regozije-se a terra; alegrem-se as muitas ilhas! Nuvens e escuridão estão ao redor dele; justiça e juízo são a base do seu trono. Um fogo vai adiante dele, e abrasa os seus inimigos em redor. Os seus relâmpagos iluminam o mundo; a terra viu e tremeu. Os montes derretem como cera na presença de YHWH, na presença do SENHOR de toda a terra.”

Salmo 98:6: “Com trombetas e som de cornetas, exultai perante a face de YHWH, do Rei.”

E o poderoso Salmo 100! Salmo 100:1 “CELEBRAI com júbilo a YHWH, todas as terras!”

O livro de Neemias relata um celebração muito especial da Festa das Trombetas. Você pode imaginar o que deve ter sido estar entre os cinquenta mil que retornavam do exílio, que tinham trabalhado durante meses para reconstruir os muros, paredes e o altar na cidade velha de Jerusalém? Eles tinham retornado do exílio por ordem do Rei Ciro da Pérsia, e celebravam as Festas do Senhor pela primeira vez em mais de setenta anos! Que gozo infindo!

 

A atmosfera estava carregada de eletricidade e antecipação da Voz de Deus vindo em Seu santuário. Esdras, o escriba, sacerdote e “pastor” profético de Israel levantou-se naquela plataforma de madeira para pregar ao povo a partir da Torah.

Era o primeiro dia do sétimo mês, era a Festa das Trombetas!

O shofar retumbou por todo a multidão…cada pessoa podia sentir o toque no fundo do seu espírito. Era um chamado à vida, ao louvor, à adoração! Seguindo-se ao longo toque de vitória, Esdras o homem de Deus, levantou-se e proclamou a Palavra de YHWH: Neemias 8:5,6 – “E Esdras abriu o livro perante à vista de todo o povo; porque estava acima de todo o povo; e, abrindo-o ele, todo o povo se pôs em pé. E Esdras louvou ao Senhor, o grande Deus; e todo o povo respondeu: Amém, Amém! levantando as suas mãos; e inclinaram suas cabeças, e adoraram ao Senhor, com os rostos em terra.”

E no meio da adoração, a pregação da Palavra de Deus prosseguiu…. “E leram no livro, na lei de Deus; e declarando, e explicando o sentido, faziam que, lendo, se entendesse. E Neemias, que era o governador, e o sacerdote Esdras, o escriba, e os levitas que ensinavam ao povo, disseram a todo o povo: Este dia é consagrado ao Senhor vosso Deus, então não vos lamenteis, nem choreis. Porque todo o povo chorava, ouvindo as palavras da lei” (Ne 8:8,9).

E então a voz profética se fez ouvir – aquela palavra de encorajamento na qual nos regozijamos hoje: “Disse-lhes mais: Ide, comei as gorduras, e bebei as doçuras, e enviai porções aos que não têm nada preparado para si; porque este dia é consagrado ao nosso Senhor; portanto não vos entristeçais; porque a alegria de Yahweh é a vossa força” (Ne 8:10)

A Festa das Trombetas nos convida a nos prostrarmos e adorarmos a Deus. É um dia quando a voz de Deus fala através de Sua Palavra, enquanto ela é exposta e pregada. É um dia quando o povo de Deus pode celebrar. O toque da trombeta desperta a memória de que Deus continua a falar ao seu povo. Que mesmo em meio à luta e sofrimento, há um gozo que independe das circunstâncias. O povo em luta pode ouvir o som da Trombeta, a voz do Senhor, e saber que “A alegria de Yahweh é a nossa força .”

Regozijemo-nos, pois, em nosso Redentor que veio nos salvar, vive em nós, pelo Seu Espírito e voltará!

 

VOCÊ PODE OUVIR O SOM DE TROMBETA? (3)

  1. O TOQUE DO SHOFAR É UM CHAMADO A LEVANTAR-NOS!

A mensagem da Festa das Trombetas inclui o levantar-nos ao chamado de Deus, acordando-nos de um estado de sono espiritual, para a prontidão. Paulo,escrevendo aos Efésios, parafraseia Isaías 60:1-2. O profeta vê a gloriosa Festa das Trombetas setecentos anos antes de Cristo:

 

“LEVANTA-TE, resplandece, porque vem a tua luz, e a glória de YHWH vai nascendo sobre ti; porque eis que as trevas cobriram a terra, e a escuridão os povos; mas sobre ti YHWH virá surgindo, e a sua glória se verá sobre ti” (Is 60:1-2).

E Paulo diz que é Cristo quem nos despertará e nos dará luz.– “Por isso diz: Desperta, tu que dormes, e levanta-te dentre os mortos, e Cristo te esclarecerá.” (Ef 5:14)

A Festa das Trombetas ensina-nos hoje que devemos nos levantar para o elevado chamado de Deus! Paulo nos adverte: “E isto digo, conhecendo o tempo, que já é hora de despertarmos do sono; porque a nossa salvação está agora mais perto de nós do que quando aceitamos a fé” (Rm 13:11).

A Festa das Trombetas, O som do shofar, representa um toque para despertar-nos do sono da indiferença, do comodismo, da letargia, da monotonia espiritual. Acordar-nos para a batalha espiritual. O shofar também era soado quando a guerra era declarada sobre um inimigo perigoso. Assim, o shofar que nós ouvimos em Yom Teruah também deve servir como um grito de batalha contra nossos inimigos internos e externos. Um grito de guerra contra nossas más inclinações e paixões, bem como contra o diabo, o próprio Satanás.

“E os filhos de Arão, sacerdotes, tocarão as trombetas; e a vós serão por estatuto perpétuo nas vossas gerações. E, quando na vossa terra sairdes a pelejar contra o inimigo, que vos oprime, também tocareis as trombetas retinindo, e perante YHWH vosso Deus haverá lembrança de vós, e sereis salvos de vossos inimigos” (Nm 10:8-9).

O shofar também era tocado no Ano de Jubileu, anunciando liberdade da escravidão. “Então no mês sétimo, aos dez do mês, farás passar a trombeta do jubileu; no dia da expiação fareis passar a trombeta por toda a vossa terra… e apregoareis liberdade na terra a todos os seus moradores” (Levítico 25:9, 10b). O toque da trombeta, portanto, nos desperta a tomar posse das bênçãos do jubileu: a plena redenção!

O toque da trombeta na Festa DESPERTA-NOS para levantar-nos, pois o Dia do SENHOR está às portas! É tempo de estarmos em estado de alerta! O Rei está voltando! Nunca foram tão atuais as palavras do profeta: “TOCAI a trombeta em Sião, e clamai em alta voz no meu santo monte; tremam todos os moradores da terra, porque o dia de YHWH vem, já está perto” ( Joel 2:1).

Jesus está às portas. “Os sinais da Sua vinda, mais se mostram cada vez!” Preparemo-nos para aquele grande dia! Ele é o cumprimento da Festa das Trombetas, Aquele que nos chama a levantar-nos a provar a Sua glória!

 

VOCÊ PODE OUVIR O SOM DE TROMBETA? (4)

III. UM CHAMADO AO ARREPENDIMENTO

“Com cada ritual e costume, os judeus são lembrados que Rosh Hashanah é um tempo de acordar-se e de examinar-se diante de Deus. O som da trombeta os alerta, como alerta a todos nós, para o fato de que cada ação tem uma consequência, e nós somos responsáveis por cada pensamento, palavra e ação. O tema de Yom Teruah é que, a despeito das fraquezas humanas, os portões do arrependimento estão sempre abertos” (John Hagee).

Estamos entrando num período em que o calendário Judaico se refere como os “dias de temor”. São dez dias, que têm início em Rosh Hasanah ou Festa das Trombetas, e termina com Yom Kippur, ou Dia da Expiação. Do toque do shofar (chifre de carneiro), na noite de quarta-feira (04.09), ao toque à noite do sábado (14.09), o povo de Israel terá sido chamado a se concentrar no arrependimento do pecado. É um período de sondagem de coração. De autoexame. O toque do shofar avisa que precisamos examinar as nossas vidas e fazer as pazes com todos aqueles que nos têm prejudicado no ano anterior. Pedir perdão pelos votos que possam ter sido quebrados. Mas a maioria dos judeus, e na verdade, a maioria das pessoas, não tem uma visão clara do que seja o pecado. Assim que os dias entre os dois festivais são negligenciados, ou mesmo ignorados.

No entanto, as Escrituras judaicas, especialmente o livro de Salmos, pode ser um enorme guia de verdadeiro arrependimento. Talvez seja por isso que os Salmos, e mais particularmente o Salmo 51, fazem parte da liturgia judaica durante esta temporada. Todavia precisamos notar e conscientizar-nos de que o arrependimento não é uma exigência ocasional, ou mesmo em um encontro anual de dez dias no calendário. Para o cristão, o arrependimento deve ser um estilo de vida, 365 dias por ano.

O cumprimento da Festa das Trombetas é Jesus Cristo! A sua chamada é urgente! É uma chamada a arrepender-nos e preparar-nos para a eternidade. Isaías comparou a chamada ao arrependimento com o toque do shofar: “Grita, pois, a plenos pulmões, não te contenhas, levanta a tua voz como um shofar, uma trombeta, e faze ver ao povo a sua própria transgressão, mostra à casa de Jacó o seu pecado” (Is 58:1).

É apropriado hoje trazer à memória a advertência de Jesus à Igreja, dando-lhe ouvidos: “Lembra-te, pois, de onde caíste, arrepende-te, e volta à prática das primeiras obras. Porquanto, se não te arrependeres, em breve virei contra ti, e tirarei o teu candelabro do seu lugar” (Ap 2:5). Este é o espírito da Festa das Trombetas.

 

Muitos não provam um genuíno arrependimento por ignorarem que:

  1. O fundamento de um verdadeiro arrependimento começa com uma profunda compreensão da natureza de Deus. As pessoas que não se arrependem, e deixam de viver uma vida de arrependimento, é porque têm uma falsa compreensão de quem Deus é. Ele é santo e não tolera o pecado. Mas é misericórdia e nos estende o perdão, em Cristo. É Sua bondade que nos conduz ao arrependimento. Se nos disciplinarmos no caminho diário do arrependimento, provaremos essa bondade cada dia.
  2. O fundamento do verdadeiro arrependimento continua com uma profunda compreensão da natureza do pecado. Ele ofende a santidade de Deus. É transgressão: ultrapassar o limite; iniquidade; errar o alvo. Tudo isso se refere a padrões muito além de nós mesmos; normas que nos indicam o caminho de volta para Deus e à sua perfeição.

O pecado, em primeiro lugar, e acima de tudo, é uma rebelião contra a natureza de Deus. Agostinho, o bispo de Hipona, explicou que o pecado é como acreditar na mentira de que somos autocriados, auto-dependentes e autossustentados. Podemos falar palavras de reconhecimento de Deus, mas, quando falhamos em reconhecer quem Deus é, com nossa confiança e obediência, perdemos o alvo. Isto é pecado.

III. As pessoas não conseguem se arrepender e deixam de viver uma vida de arrependimento por uma compreensão falsa ou incompleta do que é o verdadeiramente arrependimento. No Salmo 51 Davi nos dá uma visão de tudo isso. Foi sua visão da natureza de Deus e do pecado que lhe deram uma profunda compreensão do verdadeiro arrependimento. Não se trata de ter medo das consequências de ser apanhado em falta; não é constrangimento, vergonha ou coisa parecida. Nem sequer um lamento por ofender alguém. Embora Davi, provavelmente, haja experimentado todas essas coisas, o seu arrependimento foi muito mais profundo, porque compreendeu algo da natureza de Deus. Ele ofendera Sua santidade. Maculara a imagem de Deus nele. Fizera algo odioso, abominável, aos olhos de quem o criara e o sustentara com tanto amor. Porque ele compreendeu algo da verdadeira natureza do pecado, ele pode apenas clamar por misericórdia. O Salmo 32 mostra o resultado desse nível de arrependimento: O PERDÃO.

“BEM-AVENTURADO aquele que tem suas transgressões perdoadas e seus pecados apagados… Confessei-te o meu pecado, reconhecendo minha iniquidade, e não enconbri as minhas culpas. e a minha maldade não encobri… e tu perdoaste a culpa dos meus pecados” (Sl 32:1,5).

A mensagem de Trombetas, como CHAMADO AO ARREPENDIMENTO, continua atual, e ecoa nas palavras de Jesus: “Arrependei-vos porque o Reino de Deus está próximo!” 365 dias por ano, vivamos no espírito do genuíno arrependimento e, não importa quando Ele virá, estaremos prontos a partir para nosso destino eterno: ELE.

Fechar Menu